Tuesday, 27 September 2016

The Jordans meet one-half of The Beatles


12 November 1967 - daily 'O Estado de S.Paulo' prints this piece of news released by the Italian news agency ANSA. Members of Brazilian rock band The Jordans meet 2 members of The Beatles: John Lennon and Ringo Starr on Thursday, 9 November 1967 in London.

Tuesday, 24 May 2016

Elvira Pagã x Elvis Presley

Elvira Pagã whose real name was Elvira Olivieri Cozzolino was born on 6 September 1920, in Itararé-SP and formed a successful singing duo with her older sister Rosina (born on 10 July 1919). They changed their name to Irmãs Pagãs, literally Heathen Sisters, when they shared the stage with an all-male vocal group called Anjos do Inferno (Hell's Angels) and a journalist thought they should change their name to something more 'devilish' than simply Cozzolino Sisters. 

They made a lot of 78 rpm records that played on Brazilian radio in the 1930s. They also toured Argentina, France and other countries before they went their separate ways circa 1940. Rosina moved to the U.S.A. where Carmen Miranda was having a ball - and lived the rest of her long life in California. Rosina was 94 years old when she died in Los Angeles on 3 February 2014.

After the sisters broke up their act, Elvira turned into a show-girl competing with Luz del Fuego, another popular Brazilian show-girl who used snakes as part of her stage show. As the years went by Elvira became more queer by the day. She dabbled in the occult and politics and got used to uttering bombastic statements to the press in order to get noticed. 

Now in 1957, Elvira was 37 years old and decided to have a crack at Elvis Presley - who had become one of the most famous persons in the world overnight. Elvira may have thought Elvis had something in common with her... their names were so similiar... Elvi...ra and Elvi...s. The fact is Elvira told journalists Elvis Presley was fake... Elvis copied her in every swinging movement he did. In other words: Elvis Presley copied Elvira Pagã

'Revista da Semana' journalist Jeanette Adib - who later would start 'Revista do Rock' - visited Elvira Pagã in her flat in Rio de Janeiro and took notes of Elvira's latest ravings. Note that the illustrated magazine made a point of inserting a disclaimer saying: We do not sanction any word spoken by Miss Pagã. She's simply given an interview to one of our reporters which has journalistic interest. We publish it to show how someone can become so delirious in the search for publicity. 


Irei aos Estados Unidos desbancá-lo. Dançarei o rock'n'samba de bikini. Provarei que o rock'n'roll é brasileiro.

Através do legítimo rock - o rock'n'samba - Elvira Pagã acaba de declarar 'guerra' a Elvis Presley, taxando-o de seu imitador. A conhecida vedeta está arrumando as malas e seguirá rumo à Las Vegas, com finalidade de provar (de bikini), que nós somos os reis do ritmo. 

Referindo-se ao gingador americano, Elvira diz furiosa:

- Ora, ele imitou-me até no nome. Reparem: Elvis...ra Presley, cujas iniciais são as mesmas que as minhas - E.P. Eu fui a criadora dessa moda de cantar contorcendo o corpo - o que, aliás, é a minha personalidade. Naturalmente, por intermédio de 'shorts' filmados por mim em Hollywood, para a TV, há quatro anos (1953), Elvis teve a ideia de aplicar o meu estilo em ritmo de boogie-woogie, com a diferença do sexo e do violão.

Elvira assume um ar de superioridade e revela à reporter seu propósito de desbancar o artista americano, frisando 'que o publico apreciará muito mais o rock visto pelo seu bikini reduzido do que pelas calças compridas de Presley. E acentua, 'os americanos ficarão abismados quando eu balançar o 'rock'n'samba'. Uma coisa eu garanto: a policia americana não funcionará, porque estou vendo que eles gostam é disso mesmo'!

Com um contrato nas mãos, ela vai mostrando que, de início, se exibirá em El Parque Coney Island de Caracas (o maior centro de diversão da America do Sul), indo em seguida para Cuba, onde gingará no El Tropican. Depois vem Miami, rumo à Las Vegas - ponto em que Elvira vai 'botar p'ra jambrar' o rock'n'samba com grande classe.

Enquanto faz algumas exibições da pulverizada dança para a objetiva do fotógrafo, a sensual vedeta explica-nos que fará a referida tournée com absoluta garantia monetária. Na Venezuela ganhará 2.000 dólares semanais, em Cuba, 3000, e em Miami 5.000, com opção até 25.000 - em caso de estrondoso sucesso.

A requebrante artista brasileira estusiasma-se, antevendo a impressão alucinante que causará nos Estados Unidos.

- Como o fraco deles é essa dança, está p'ra mim. Para início de conversa desembarcarei na America do Norte de bikini!

- E não receia ser presa? interpelamos.

- Pois é precisamente isso que eu quero. Será uma estupenda publicidade para o meu trabalho. Uma espécie de ‘avant première’. Depois da prisão (que será o show inicial), é que a coisa esquentará. Todos disputarão uma entrada para os meus espetáculos. Então, eu mostrarei por a + b, que o rock’n’roll é brasileiro. Aposto que não ficará uma cadeira no lugar, depois da minha exibição. Se com o Elvis eles sobem pelas paredes, comigo subirão pelos telhados. A batucada passa p’ra trás qualquer rock. Por isso, é que eu exibirei o fantástico rock’n’samba.

- É sua intenção implantar o existencialismo nos EEUU?

- Eu pretendo implantar o bikini, isto sim. Para tanto, nos meus contratos, especifiquei como condição essencial, as minhas apresentações de bikini. Sem bikini, nada feito!

Acende um cigarro e prossegue:

- A propósito deste assunto, deu-se um fato desagradável quando fui à Nice, contratada com uma diária de 8.000 cruzeiros. No cassino local, exigiram que eu vestisse toilette completa. Contrariada, dei uma audição como convidada de Monte Carlo. No dia seguinte, virei-me para o dono daquela casa de diversão, e, apontando para a praia defronte, bradei em alta voz: ‘Como é que uma mulher sem soutien banha-se em público sem escandalizar ninguém, e eu, como artista não posso me expor de bikini diante de uma platéia francesa cuja preferência é exatamente o nu’. Ele redargüiu que temia a depredação do seu cassino pelos expectadores exaltados após o meu número, que taxou de picante... Eu queria mesmo confusão, com a intervenção da policia, pois levei 500.000 cruzeiros para gastar, em caso de processo!

O telefone toca. Elvira levanta-se para atendê-lo, resmunga qualquer coisa entre os dentes, e volta com suas explicações.

- Nos EEUU será diferente. Irei munida de um mandado-de-segurança, esclarecendo que eu sou brasileira e que meu estilo é esse. Assim é a minha personalidade, e não a mudarei por coisa alguma. Não temo a policia americana, porquanto o Elvis Presley é muito mais indecente do que eu, e nunca foi preso!

- Se as coisas ocorrerem conforme você espera, fixará residência nos States?

- É bem provável... Depois do Brasil, o país de que mais gosto é a America do Norte. Prefiro a California à New York, por ser mais quente, o que facilita o uso da minha pouca-roupa.

Dando ‘au revoir’ à nossa reportagem, Elvira Pagã conclui:

- Estejam certos de que provarei lá fora, que o rock’n’roll é brasileiro (no que concerne a dança), e acaba de ser batizado de ‘rock’n’samba. Provarei também, que Elvis Presley copiou-me em tudo, até no nome!!!  

Miss Pagã asserts Elvis Presly copied every bit of her stage persona. We wonder whatever happened to Elvis's brassiere...

Wednesday, 17 February 2016

Cinema rock 1964 - 1965 - 1966


6 November 1964 - Elvis Presley's vehicle 'Fun in Acapulco' (O seresteiro de Acapulco' was at its 2nd week in Rio de Janeiro while Italian road-movie 'Il sorpasso' (Aquele que sabe viver) was running for the 6th week with packed houses. 'I sorpasso' could be pigeonholed as a 'rock movie' too because its sound track features Edoardo Vianello's 'Guarda come dondolo' a very popular Italian twist. 

17 January 1965 - 'Fun in Acapulco' (O seresteiro de Acapulco) had Ursula Adress playing against Elvis and 'Bossa Nova baby' was its highlight. Note that Rio de Janeiro usually released foreign films a few weeks before Sao Paulo had its turn. 

28 February 1965 - The Beatles hit the silver screens in the city with 'Os reis do ié ié ié' (A hard day's night). Fans would watch the movie non-stop, sometimes arriving at Cine Metropole at 12 noon and leaving at 12 mid-night. 


3 April 1966 - Richard Lester's 'Help' (Socorro) won Rio de Janeiro's IV Centenary Film Festival as 'best film' (gaivota de ouro - Golden Sea-Gull) and 'best direction' (gaivota de prata - Silver Sea-Gull) in September 1965.
16 October 1966 - Brazilian singer Astrud Gilbert sings 'Girl from Ipanema' sharing the screen with such rock acts like The Animals, Dave Clark Five, Nancy Sinatra etc. 'Get yourself a college girl' tartly translated as 'Turma da bossa nova'. Durma-se com um barulho desses. 
28 November 1966 - Jerry Adriani stars 'Essa gatinha é minha' (This pussycat is mine) supported by French actress Annik Malvil and bossa-nova singer Pery Ribeiro

Monday, 30 November 2015

Young Records 1959-1961

Young Records was an independent record-label started up in 1959, by journalist and radio DJ Miguel Vaccaro Netto and Enrique Lebendiger an executive from Fermata do Brasil, a sheet-music publishing house cum record company (Fermata and RGE). Vaccaro acted as a record-producer too, and one could easily say Young was his dream come true.

Miguel Vaccaro had an afternoon rock-show on Radio Panamericana in Sao Paulo where he not only played records but also presented live music made by rock bands that were popping up around the many suburbs of the big city circa 1958 and 1959. He knew he had enough original talent to start up a record label and be successful.

His plan was to assemble a whole cast of young hopefuls who had already performed for free at his radio-shows and record 20 different platters on a long weekend (1959 Easter holiday) when recording studio-time was cheaper. The tunes would come from those US 45 rpms he played on the radio which had not been released in Brazil yet.

Vaccaro was an enthusiast of US rock'n'roll and kept up-to-date with magazines Billboard and Cash Box playing American latest hits on the radio before they were released in Brazil which sometimes took longer than 6 months or a year. Vaccaro knew there was a time-gap he could fill in if he recorded those hits with Brazilian acts and released them immediately. It was a chance he'd take.

Young Records was active during 1959 and 1960, but it had to fold eventually. Young's biggest handicap was embedded in its own genesis: Brazilian acts who didn't have the proper knack of the English language and a consumer market that did not understand English either.

English-language records will only become popular in non-English-speaking countries if those are melodious tunes. As the record-buying public don't understand the lyrics they have to rely on melody and rhythm. That is what Mr. Vaccaro Netto didn't seem to realize. Maybe if Vaccaro had those tunes translated and adapted to the local market's taste he would've been sucessful in the end.

He recorded Brazilian acts performing songs such as the Coasters' onomatopoeic 'Yakety yak', an almost-spoken tune; Lloyd Price's 'Where were you on our wedding day?' that lost all its drama if the listener doesn't know what's actually goin on; 'Ding dong daddy wants to rock', a rock-a-billy song that would never have played on the radio except in Texas or Tennessee, 'The ten commandments of love', a do-wop that required a lot of hard work from the singers and a lot of knowledge from the audience to know they were singing about the Mosaic Law transplanted to the teenager-world.

Young Records could not continue on this premise and it folded sooner than later. Even so, the two catalogues recorded by the many acts are very interesting to listen to. Brazilian rock was evolving swiflty and many of these new acts went on to bigger things elsewhere.

Gato, the guitar virtuoso (and a fairly good singer to boot) that was Vaccaro's right-hand man when it came to music itself went on to start The Jet Blacks, a seminal Brazilian instrumental rock-band that spawned dozens of similar combos. The Rebels' lead-singer Zezinho went on to become Prini Lorez, the man who took Trini Lopez to task in 1964.

Nenê who was The Rebels' amazing 12-year-old drummer went on to sing and play bass for Os Incriveis in their most popular phase. The Avalons' guitarrist Dudu became involved in jazz. The Beverlys, the first and only Brazilian Black do-wop group went on to record for RGE and appear at Jovem Guarda TV show.

Hamilton di Giorgio turned out to be one of the best rock singers Brazilians ever had. Demetrius was the first Young act who who actually broke into the charts in 1962 with a cover of Ray Peterson 'Corinna, Corinna' sung in Portuguese.

Marcos Roberto and Dori Edson (The Cupids) had to wait a few more years to break into the main-stream but both had solid and long careers singing rock as well as ballads during (and after) Jovem Guarda's reign (1965-1970).


THE YOUNG YEARS - musicas gravadas pela Young, sêlo criado pelo JD Miguel Vaccaro Netto em parceria com Enrique Lebendiger, da Fermata do Brasil. Vaccaro aglutinou uma patota de jovens musicos paulistas que gravitavam em torno de seus programas-para-a-juventude nas Radios Panamericana e Record de S.Paulo. São interpretações de sucessos norte-americanos de 1958 e 1959, feitas por jovens estudantes de cursos-de-inglês, comissários-de-bordo, secretarias bi-lingue ou simples aficionados do rock'n'roll surgido no Brasil circa 1957.

As gravações eram feitas em verdadeiras 'maratonas musicais' que duravam até 48 horas, pois o estúdio da Continental, no Largo da Misericórdia, era alugado p'ro final-de-semana e tudo tinha que estar gravado nas fitas magnéticas antes da meia-noite do domingo.

Vaccaro tinha muita fé em seu projeto e dedicou pelo menos 2 anos de sua vida (1959-1960) para que tivesse sucesso. Lançou os mais de 20 discos tanto em 78 rpm como em 45 rpm de vinil. Houve acidentes de percusso quando Vaccaro foi demitido sumariamente das radios Panamericana e Record, perdendo assim uma tribuna importante na divulgação dos discos. Ah, Vaccaro perdeu também sua coluna diária no jornal 'Ultima Hora', que era o melhor jornal brasileiro da época.

A maioria desses discos cairam no esquecimento do publico e o rock brasileiro se desenvolveu por outros caminhos. Isso até o advento de gravações digitais. O pesquisador e produtor carioca Valdir Siqueira compilou todas essas gravações em um CD duplo que fez muito sucesso entre colecionadores e entusiastas do Brazilian rock fazendo que os discos 45 e 78 rpm da Young ainda existente atingissem preços absurdamente altos.


YOUNG RECORDS catalogue - 1st & 2nd supplements

Y-78-101 - To know him is to love him / Fallin' - REGIANE & The Avalons
Y-78-102 - Passing by / The Ten Commandments of love - THE YOUNGS
Y-78-103 - Petite fleur / Les oignons (As cebolinhas) - SIDNEY BECHET
Y-45-104 - Rebel rouser / All the time - THE AVALONS
Y-45-105 - Dream lover / Where were you on our wedding day? - Antonio Claudio & The Jester Tigers
Y-45-106 - Frankie / Tum-ba-lov - REGIANE & The Avalons
Y-45-107 - Hiccups / Since you've been gone - NICK SAVOIA & The Scarletts
Y-45-108 - Little star / There goes my baby - THE BEVERLYS
Y-45-109 - I'm gonna get married / My heart is an open book - Hamilton di Giorgio & The Devils
Y-45-110 - Kissme honey honey, kiss me / I can't live - LUCY PERRIER & The Cupids

Y-45-111 - Come softly to me / Baby talk - THE AVALONS
Y-45-112 - Here comes the Avalons / Believe me - THE AVALONS
Y-45-113 - Ding dong daddy wants to rock / Baby - THE REBELS
Y-45-114 - Book of love / Mr. Blue - THE TEENAGERS
Y-45-115 - Bad boy / I go ape - NICK SAVOIA & the Rebels
Y-45-116 - My search / You were mine - FREDDIE DAVIS
Y-45-117 - I'm yours / Broken-hearted melody - REGIANE
Y-45-118 - Cry - Mack the Knife - NICK SAVOIA
Y-45-119 - Teenage sonata / We got love - HAMILTON DI GIORGIO
Y-45-120 - A boy without a girl / Mediterranean moon - THE TEENAGERS

Y-45-121 - Moon shot / My love is a charm - THE SCARLETTS
Y-45-122 - Yakety-yak / Dance with me - THE BEVERLYS
Y-45-123 - Come to paradise / Torquay - THE YOUNGS
Y-45-124 - Hold me tight / Young and in love - DEMETRIUS & The Devils
Y-45-125 - Danny Boy - DORI ANGIOLELLA / I love you, I do - MARCOS ROBERTO
Y-45-126 - The angels listened in / In my heart - CARLOS DAVID & Beverlys feat. Amelia Loureiro
Y-45-127 - Kissin' time / What'd I say? - GATTO

Y-78-.... - Paris Belfort / Parada da Juventute - GATTO

a 78 rpm of 'Baby' by The Rebels.

Here is the list of songs recorded by producer Miguel Vaccaro Netto and Young Records cast during 1959 Easter long weekend and some other subsequent sessions done at the studios of Continental Records on Largo da Misericordia in Sao Paulo. These songs were released in 78 rpm and 45 rpm formats.

The songs recorded by Brazilian acts are listed here according to the highest position they occupied at Billboard magazine when released by their original artists in the USA:

1. Mack the Knife   #1  Bobby Darin   5 Oct 1959    Nick Savoia
2. Cry   #1   Johnny Ray   29 Dec 1951  Nick Savoia
3. Little star   #1   The Elegants    25 Aug 1958   The Beverlys
4. Yakety yak    #1  The Coasters    9 Jun 1958  The Beverlys
5. To know him is to love him    #1   Teddy Bears   1st Dec 1958  Regiane & Avalons
6. Come softly to me   #1   Fleetwoods   13 Apr 1959   The Avalons
7. Mr. Blue    #1   Fleetwoods    16 Nov 1959   The Teenagers

8. There goes my baby   #2  The Drifters   17 Aug 1959  The Beverlys
9. Dream lover   #2   Bobby Darin    4 May 1959  Antonio Claudio & Jester Tigers

10. My heart is an open book  #3  Carl Dobkin Jr.    3 Aug 1959  Hamilton di Giorgio
11. I'm gonna get married   #3  Lloyd Price  14 Sept 1959    Hamilton di Giorgio

12. I'm yours   #5   Eddie Fisher   5 Jul 1952       Regiane
13. The book of love  #5   The Monotones   7 Apr 1958    The Teenagers

14. What'd I say?    #6   Ray Charles     17 Aug 1959    Gato
15. Rebel rouser   #6  Duane Eddy    7 Jul 1958    The Avalons
16. We got love   #6    Bobby Rydell   7 Dec 1959    Hamilton di Giorgio

17. Broken-hearted melody    #7   Sarah Vaughn   7 Sep 1959  Regiane

18. Frankie   #9  Connie Francis   6 Jul 1959   Regiane

19. O Dio mio   #10   Annette Funicello    28 Mar 1960  Regiane
20. Danny boy    #10  Conway Twitty    7 Dec 1959  Dori Angiolella
21. A boy without a girl   #10   Frankie Avalon   13 Jul 1959   The Teenagers
22. Baby talk   #10  Jan & Dean  14 Sep 1959   The Avalons

23. Kissin' time   #11  Bobby Rydell    10 Aug 1959    Gato
24. Dance withl me    #15   The Drifters     2 Nov 1959   The Beverlys
25. You were mine   #21   Fireflies feat. Richie Adams  28 Sep 1959    Freddie Davis
26. The Ten Commandments of Love  #22  Harvey & the Moonglows 20 Oct 1958 The Teenagers
27. The angels listened in  #22  The Crests  14 Sep 1959   Carlos David
28. Where were you (on our wedding day)#23  Lloyd Price  30 Mar 1959 Antonio Claudio
29. Believe me   #26   Royal Teens   16 Nov 1959   The Avalons
30. Fallin'    #30   Connie Francis   17 Nov 1958    Regiane & the Avalons
31. Bad boy   #36  Jive Bombers feat. Clarence Palmer   16 Mar 1957  Nick Savoia & the Rebels
32. Since you've been gone  #38  Clyde McPhatter  3 Aug 1959  Nick Savoia & the Scarletts
33. Torquay  (instrumental)  #39  The Fireballs   26 Oct 1959   The Youngs

Songs that did not reach Billboard's Top 40 but had some air-play

34. Valentina, my Valentina    Lee & Paul      The Avalons
35. Hiccups       Frank Slay Jr.            Nick Savoia
36. Ding dong daddy wants to rock   Ronnie DeMarino    The Rebels
37. That's all           Bobby Darin         Nick Savoia
38. Teenage sonata    Sam Cooke (written by Jeff Barry)   Nick Savoia
39. Mediterranean moon    The Rays  (19860)       The Teenagers
40. I go ape    Frankie Tyler (future Frankie Valli)   Nick Savoia
41. In my heart                  Carlos David with Amelia Paula in background vocal
42. My love is a charm    The Shirelles       The Scarletts
43. Kiss me honey, honey kiss me    Shirley Bassey   Lucy Perrier & the Cupids
44. Come to paradise    The Fascinators   The Youngs
45. Passing by    The Versatiles    The Youngs
46. Moon shot   (instrumental)   Joe Maphis     The Scarletts
47. Tum-ba-lov      Linda Powers     Regiane & the Avalons
48. My search             Freddie Davis
49. Willie boy                      Regiane

Songs written in English by Brazilian writers 

50. Young and in love    Demetrius & the Devils
51. Hold me so tight   (written by Hamilton di Giorgio)  Demetrius & the Devils
52. I can't live                     Lucy Perrier & the Cupids
53. Baby   (written and sung by Zezinho aka Galli Jr.)   The Rebels
54. All the time  (written by Solano Ribeiro)    The Avalons
55. I love you, I do               Marcos Roberto
56. China rock  (instrumental)     The Avalons
57. Here comes the Avalons   (instrumental)    The Avalons

some extra material

58. Paris, Belfort  (instrumental)       Gato
59. Parada da juventude  (instrumental)  Gato


Miguel Vaccaro Netto era bom produtor de discos, mas como A&R Man (Artist and Repertoire) deixava a desejar pois muitas de suas escolhas foram terrivelmente infelizes. Musicas 'locais' norte-americanas como 'Yakety yak', dos Coasters, que eram práticamente faladas (ou monótonas) foram impostas aos jovens artistas sem esses poderem dar suas opiniões. 'Yakety yak' em particular é onomatopeica, significando 'blá blá blá', sendo a situação peculiar de um garoto que já não aguenta mais as imposições da sociedade em geral, personificadas na mãe, professora etc. que sempre vem com cobranças - 'blá blá blá'. É uma gravação-comédia ('novelty') que só atinge seu objetivo se o público-alvo entender o texto. Sem entender inglês, a música acaba se tornando enfadonha e chata.

O problema fundamental do projeto Vaccaro-Young é a diferença monumental que existe entre as linguas inglesa e portuguesa. Não só linguas diferentes, mas culturas e religiões muito distintas. Vaccaro achou que poderia ultrapassar a barreira linguística, mas isso é impossivel. A cultura humana não pode ser moldada de acordo aos nossos caprichos. O que o produtor, talvez, quisesse era ter nascido nos Estados Unidos. Como isso não fora possivel, ele achou que fazendo todo mundo cantar-em-inglês, estaria assim concretizando seu sonho.

Na verdade, se Vaccaro tivesse parado para pensar ele teria percebido que não é todo sucesso norte-americano que 'vinga' no Brasil. A musica yankee faz sucesso no mundo inteiro, mas os discos de maior êxito são as faixas mais melodiosas, pois o publico internacional não entende o conteúdo das letras. Esse problema poderia ter sido resolvido se as músicas tivessem sido vertidas ou adaptadas para o português, como a Odeon já tinha provado em 1958, com 'Lacinhos cor-de-rosa', cujo original 'Pink shoe laces' nunca 'pegaria' no mercado brasileiro. 'Pink shoe laces' conta a história de Dooley, um rapaz exótico que gosta de usar colete de bolinhas, chapeu Panamá com uma faixa roxa, sapatos marrons com laços cor-de-rosa. Um cara assim no Brasil seria imediatamente taxado de 'viado' (gay). Então o Fred Jorge vai e 'adapta' a canção para o gosto local, onde os 'laços cor-de-rosa' ficam bem só nos sapatos da mocinha e não do mocinho. Sacou? Essa 'intervenção' fredijorgiana fez a música, cantada magnificamente por Celly Campello ir p'ro primeiro lugar. Fred Jorge era um escritor de novelas e contos populares que conhecia o público brasileiro profundamente. Já, o Vaccaro pensou que gravando uma música 'engraçadinha' em inglês ela iria, como num passe de mágica, ser entendida pelo público dos trópicos. Enfim, o projeto Young já começou com falhas técnicas insuperáveis.


Young Records 1959-1960 catalogue was back in vogue circa 2001 after Valdir Siqueira, a record collector based in Rio de Janeiro managed to assemble a double-CD containing its entire collection. Here are the songs collected by Valdir with their original American artists: 

CD 1:

1. Valentina, my Valentina - The Avalons do a pretty good job on a song that is not exactly top of the heap. They were originally an instrumental band but Mr. Vaccaro Netto made them add 3 vocalists who do a better-than-average job concerning the singing of English words. One of the three vocalilsts was born in Hong Kong that until 1999 belonged to the British Empire. 
2. To know him is to love him - Regiane accompanied by The Avalons. Regiane was undoubtedly Young's biggest star. She had a strong voice and sang pretty well but her English was atrocious and according to what she herself declared later she didn't care much about it. As she didn't understand the words she uttered she thought it didn't actually matter. Unfortunately a record lasts forever and all sorts of people will eventually listen to it one day which is not very flattering to Regiane in the end.
left: The Teddy Bears were three Jewish kids from Philly: Phil Spector, Annette Kleinbard (she later changed her name to Carol Connors) and Marshall Leib; right: Phil Spector went on to bigger things having produced The Beatles, John Lennon and George Harrison records in the 1970s. Spector had a megalomaniac personality and a not healthy relationship with money (see him holding a wad of greebacks in his teeth?)... which made him commit murder, be tried and sentenced to a life in prison. 

3. Passing by - The Youngs

  





CD 1:



3. Passing by - The Youngs - originários de Rio Claro-SP, gravaram esse do-wop lançado pela Atlantic por The Versatiles, tendo 'Crying' do outro ladon [não é a do Roy Orbinson], que é uma música bem melhor que 'Passing by'. 

4. Rebel ‘rouser - The Avalons – ótima gravação desse instrumental do guitarrista Duane Eddy.

5. Dream lover – Antonio Claudio - Apesar do inglês não ser ruim, a voz do cantor não entusiasma. Esse é o 2o. maior sucesso de Bobby Darin.

6. Frankie - Regiane – boa interpretação. Regiane tem melhor articulação em inglês que a Celly Campello. A interpretação também é melhor. Celly nunca deveria ter gravado em inglês.

7. Hiccups – Nick Savoia & the Scarletts – Nick imita Neil Sedaka. Essa é a impressão que se tem. Em seu próprio blog Nick diz: "No acetado minha voz estava muito boa e o conjunto esteve muito bem. No disco, fiquei com voz de um pato molhado e The Scarletts com um som desses de parquinho-de-diversões de bairro."

8. Little star – The Beverlys – Boa gravação; conjunto afinadoErasmo Carlos e seus Snakes gravaram 'Little star', como 'Estrelinha', não muito tempo depois.  
 The Elegants cantam 'Little star'

9. I’m gonna get married – Hamilton Di Giorgio - cantor com personalidade própria; musica bonita do grande Lloyd Price.
Lloyd Price canta 'I'm gonna get married'

10. Kiss me honey, honey kiss me – Lucy Perrier & the Cupids - musica fraquinha, embora a gravação da Shirley Bassey seja uma pérola. 
Shirley Bassey's EP released by Philips-CBD; this particular 45 rpm was bought on 16 Oct. 1959 in Rio. 

11. Come softly to me – The Avalons – Ótima gravação; cantor-solista é bom; vocal bem copiado dos Fleetwoods.
The Fleetwoods em 'Come softly to me'

12. Here comes the Avalons – The Avalons – Rock Instrumental; faixa que não acrescenta muito à qualidade do repertório, alem do titulo estar errado gramaticalmente. Deveria ser 'Here come the Avalons', já que o sujeito está no plural.

13. Ding dong daddy wants to rock – The Rebels – rockabilly; cantor-solista enrola o inglês.
Ronnie De Marino em 'Ding dong daddy wants do rock'

14. The book of love – The Teenagers – Vocal bom; boa tentativa de imitação dos Monotones; inglês inteligivel.
'Who wrote the book of love?' com The Monotones

15. Bad boy – Nick Savoia & the Rebels - Essa é, talvez, a melhor gravação de Nick Savoia para a Young. Uma balada do-wop bem marcada, com um lindo vocal dos Beverlys. 


Jive Bombers destacando-se Clarence Palmer cantam 'Bad boy'.

16. My search – Freddie Davies - Inglês nativo; cantor deve ser de país de lingua inglesa. Aqui um lançamento dele no mercado latino-americano. 

17. I’m yours – Regiane - Boa gravação, ótima cantora; lembra "Hurt", embora seja anterior a ela; balada bonita com muitos violinos ao fundo. Ganhou um "Chico Viola" em 1959. Foi o maior sucesso entre os discos da Young. Eddie Fisher fez sucesso com ela, mas Regiane disse que se inspirou ouvindo a gravação de Eydie Gorme.

18. Cry – Nick Savoia - Nick bem que tenta imitar Johnny Ray, the Prince of Wails, mas a articulação das palavras fica muito aquem.  'Cry', a preferida de vários crooners, foi gravada por Tony Campello também.

19. My teenage sonata – Hamilton Di Giorgio – Uma balada regular, embora seja de Sam Cooke. Hamilton tinha uma voz anasalada bem propícia à boa pronúncia da lingua de Shakespeare.  
SAM COOKEはKEEN RABEL、RCAで多くの名曲を残していますが、私はこの作品を取り上げたかったのです。

「TEENAGE SONATA」(1960年)です。

20. A boy without a girl – The Teenagers – a composição é tão fraca que eu pensei, a princípio, que fosse de autoria brasileira. Depois descobri que é um original com Frankie Avalon.  



21. Moon shot – The Scarletts solam esse rockabilly instrumental que Joe Maphis gravou para a Columbia em 1959.
o caipira Joe Maphis toca 'Moon shot'.


22. Yakety yak – The Beverlys – música original dos compositores de 'Hound dog'Jerry Lieber Mike Stoller especialmente para os Coasters; muito difícil de cantar, mas The Beverlys sairam-se bem; boa gravação, boa interpretação.
The Coasters.

23. Come to paradise – The Youngs, grupo de Rio Claro-SP, interpretam um do-wop que The Fascinators, de Brooklyn-NY, gravaram em 1959 para a Capital. Beto Abrantes diz que é plágio de 'Oh Gee'.

24. Hold me so tight – Demétrius & the Devils – composição de Hamilton Di Giorgio; Demetrius imita Elvis descaradamente; mas acho que naquela altura era o que todos queriam fazer. Foi o maior sucesso em inglês conseguido por Demétrius, que a partir de 1961 fêz a coisa certa: gravar em sua própria lingua.

25. Danny boy – Dori Angioletta - original com Twitty Conway; Angioletta que se tornou Dori Edson na futura Jovem Guarda, tem interpretação firme, com um inglês razoável. 



26. The angels listened in – Carlos David - Vóz um pouco estridente. O inglês está razoável. Musica original cantada por Johnny Maestro & the Crests. Muito comum a união entre ítalo-americanos com negros.

27. What’d I say? – Gato - Por incrível que pareça, o futuro "rei-da-guitarra", solista virtuoso dos Jet Blacks, canta bem. Não dá nenhuma rata no inglês, embora ele tenha simplificado ao máximo a letra do original cantada pelo Ray Charles.

28. Willie boy – Regiane tem uma interpretação que lembra a Helen Shapiro. Tem uma voz firme e maneira de cantar [as vezes] de soquinho, que lembra um pouco a Brenda Lee, também.

29. That’s all – Nick Savoia - Em números lentos, como essa musica "Tin Pan Alley" [musica popular pré-rock] Nick se dá muito bem.  

30. Kissin' time - Gato - Não sei porque essa gravação não foi incluída na coletânea do Valdir. Gato faz quase o impossível: canta 'Kissin' time' corretamente!  É o primeiro sucesso de Bobby Rydell. Uma música 'up-tempo' [corrida], com muitos nomes próprios de lugares e datas históricas. Enfim, uma musica já difícil para um norte-americano comum, imagina para um estrangeiro. Rita Pavone gravou 'Kissin' time' em 1964, com muitos erros de pronúncia, que se tornou até constrangedor. Gato realmente era uma artista! Não sei porque nunca tentou carreira solo como cantor e instrumentista.


'Teen-age sonata', o 2o. single de Hamilton Di Giorgio pela Young. 
 

CD 2:


1. China rock – The Avalons – Esse Instrumental, lançado originalmente como lado B de "Valentina, my Valentina", tornou-se o maior sucesso dos Avalons, sempre aparecendo em CDs de coletâneas sobre os primórdios do rock nacional. Gravação que poderia se chamar de 'moderna' até hoje. Na verdade, 'China girl' do David Bowie [1983], tem um som bem parecido.


2. Fallin’ – Regiane & the Avalons - Regiane consegue um bom resultado interpretando esse sucesso da Connie Francis, composto pelo Neil Sedaka. Não tente entender a letra, pois é quase impossível. 
'Fallin', de Neil Sedaka com Connie Francis.


3. The ten commandments of love – The Youngs – gravação até que boa. The Youngs imitam bem os conjuntos do-wop dos anos 1950s, e não se saem mal, já que essa composição não é facil, pois há uma declamação em cima do vocal. Harvey Fuqua & the Moonglows gravavam para a legendária Chess de Chicago.
Harvey & the Moonglows em 'The 10 Commandments of love.

4. All the time – The Avalons - Cantor-solista com ritmo. Deve ser o Solano Ribeiro, já que essa é composição sua. A gravação lembra o som do Dion & the Belmonts. 


5. Where were you on our wedding day? – Antonio Claudio canta bem em inglês. Ele se saiu melhor aqui do que em 'Dream lover'. A impressão que tive quando assisti ao programa do Cinquentenário da Young, foi que Vaccaro 'impôs' essa música ao Antonio Claudio. Realmente, o Vaccaro tinha uma infinidade de musicas melhores que essa para gravar. Quando ouvi o Vaccaro pronunciando desse título em inglês, percebi que nem o produtor sabe pronunciá-la corretamente.
'Onde você estava no dia do nosso casamento?' - mais um título com casamento em musica do magnífico Lloyd Price.


6. Tum-ba-lov – Regiane & the Avalons – Gravação e interpretação boas. Regiane canta esse do-wop lançado em 1959 pela Linda Powers pela Carlton Records.


7. Since you’ve been gone – Nick Savóia & the Scarletts – Nick tem voz estridente nessa sua primeira gravação. Talvez porque ele quisesse imitar o Neil Sedaka, que também tem uma 'araponga' na voz. Clyde Mc Phatter tinha sido crooner dos Drifters, mas agora gravava solo.
Clyde Mc Phatter canta 'Since you've been gone' composta por Neil Sedaka.


8. There goes my baby – The Beverlys - Essa gravação foi um dos 'show-cases' para a Young. Estilo impecável do-wop dos Beverlys com direito a acompanhamento de violinos da Orquestra Sinfônica Municipal de São Paulo.  

9. My heart is an open book – Hamilton Di Giorgio – Cantor muito bom e melodioso. Foi o terceiro maior sucesso da Young, logo depois de 'I'm yours' e 'China Rock'.  Tony Campello também gravou esse sucesso de Carl Dobkins,Jr. no LP 'Baby rock'.

10. I can’t live – Lucy Perrier & the Cupids – Composição brasileira calcada em "You are my destiny", do Paul Anka. Tudo muito "fake" aí.


11. Baby talk – The Avalons – Vocal bem feito. Musica "up-tempo", difícil para "não-nativos", mas o vocalista dos Avalons não faz feio, não. O Inglês ficou inteligível.



12. Believe me – The Avalons – Vocal lembrando bem os Belmonts.


13. Baby – The Rebels – composição brasileira do Galli Jr., futuro Prini Lorez, que era o crooner dos Rebels. 


14. Mr. Blue – The Teenagers –  Não há muito que se comentar sobre essa Mr. Blue, o 2o. 'Number One' dos Fleetwoods.

15. I go ape – Nick Savoia – Embora tenha o mesmo título de uma das faixas do 1o. LP de Neil Sedaka, essa 'I go ape' foi lançada pela gravadora Okeh em julho de 1958 cantada por Frankie Tyler, que futuramente usaria seu nome verdadeiro Frankie Valli e seria o 'front man' dos Four Seasons, o conjunto americano que mais chegou perto dos Beatles em questão de Number Ones na Billboard. Número up-tempo difícil. O departamento A&R [repertório] da Young [MVN] dormiu no ponto. Esse rpm é tão raro que nem foto dele em Google images se consegue. Ela foi cantada durante a apresentação na Broadway de 'Jersey Boys', contando a história dos Fours Seasons.


16. You were mine – Freddie Davies – continuamos não sabendo quem era Freddie Davies.


17. Broken-hearted melody – Regiane - Não sei porque tanta cantora gravou essa música. Celly gravou-a em inglês para a Odeon. Foi o maior sucesso de Sarah Vaughn, que sempre declarou não gostar dela. 

18. Mack the knife – Nick Savóia – Nick faz um ótimo trabalho. Consegue imitar o Bobby Darin direitinho, até naqueles gritinhos dele. É um número dificil, mas o Nick consegue dar o seu recado. 

O disco mais vendido nos USA em 1959. Na verdade o disco mais vendido da década de 1950.
19. We got love – Hamilton Di Giorgio – sempre bom intérprete, canta bem. A música é que não tem nada de especial.

Mais um sucesso mediano de Bobby Rydell pela Cameo.

20. Mediterranean moon – The Teenagers - só deram musicas difíceis para os Teenagers. Apesar disso até que eles não se sairam mal nessa Lua mediterrânea, gravada originalmente por The Rays, que tiveram maior sucesso com 'Silhoutte'.


21. My love is a charm – The Scarletts – ficou parecida com "Little darling". A gravação original é das Shirelles, lançada pela Decca em 1958, tendo 'Slop time' [mais rockeira] do outro lado.

22. Dance with me – The Beverlys – Mais uma composição de Jerry Leiber & Mike Stoller, dessa vez com mais dois: Irv Nahan & George Treadwell, gravada pelos Drifters, tendo Ben E. King como solista. A gravação Young está muito boa sendo Vander Loureiro o solista, numa ótima interpretação. 

23. Torquay – The Youngs – ficam melhores quando não cantam. Esse instrumental parece uma versão mais lenta de 'Tequila' e foi gravado por The Fireballs, conjunto instrumental de Raton, New Mexico, que em 1963, com outra formação, Jimmy Gilmer and the Fireballs levou 'Sugar shack' para o 1o. da Billboard.

24. Young and in love – Demétrius & the Devils - Demétrius enrola com voz anasalada, embora não fique de todo má. 

25. I love you, I do – Marcos Roberto – Balada inspirada em tema de Franz Liszt, que a Little Peggy March iria gravar em 1963 como "As young as we are". Tinha tudo para dar certo, mas deu terrivelmente com os burros n’agua. O saxofone do intervalo-instumental é a parte alta da gravação.

26. In my heart – Carlos David – Bom cantor e se sai bem melhor que em 'The angels listened in'. Louvável aí é o contra-canto de Amélia de Paula dos Beverlys, que se faz presente durante toda a canção. 

27. O Dio mio – Regiane – Taí outra musica que o depto. A&R errou. Apesar disso, Regiane canta melhor que Annette Funiccello. É interessante que Regiane ainda canta esse número em suas apresentações pós-2000.

Annette na gravadora Buena Vista de Walt Disney.

28. Paris, Belfort – Gatto – Instrumental, onde o Gatto brinca com o hino francês. 

29. Parada da juventude – Gatto - Ele arrasa novamente com sua guitarra, tocando "Marcha soldado, cabeça de papel, se não marchar direito..." Gatto, um talento, que se disperdiçou.

Y-78-103 – Petite fleur – Les oignons [As cebolinhas] - SIDNEY BECHET - Não se sabe exatamente porque o produtor Miguel Vaccaro Netto incluiu essa gravação do norte-americano Sidney Bechet no suplemento da Young. O motivo deve ter sido puramente econômico, já que 'Petite fleur' estava fazendo sucesso no mundo inteiro em 1959. Aqui no Brasil as gravações mais populares de 'Petite fleur' foram com a orquestra de Werner Müller, da Polydor, e de Bob Crosby, da RGE. 




Fermata distributed records by ATCO, Fermata itself, Premier, Hispavox, Seresta, Cameo-Parkway and YOUNG.