Thursday, 10 January 2013

IDALINA DE OLIVERIA Jovem Guarda aka ié-ié-ié

This is a little essay about the word 'ié ié ié' (or iê-iê-iê) which was coined circa 1965, after the song 'She loves you' (yeah, yeah, yeah) to identify a certain kind of music that used to be called 'rock'n'roll' up to that moment.

The fact is that the translators at United Artists didn't know how to translate 'A hard day's night' into Portuguese. That was title of The Beatles's very first film. I don't know who... but someone came up with this not very bright idea of 'translating' it as 'The kings of yeah, yeah, yeah'. It is silly but the name stuck! From then on, whenever one referred to 'rock' as a counterpart to Brazilian music - one would say 'ié ié ié'...

'Brazilian music' (MPB) meant the music inspired by Brazilian rhythms like samba and it could not have any electrical instruments in it, especially the electric guitar which was identified as the 'enemy'. The music called 'ié-ié-ié' was usually translated from English - even if it was written originally in Portuguese it always had electric guitar as accompaniment and dealt with youth issues like 'big cars', the latest fashion or teeny-bopper romance.

'Brazilian music' was considered 'in' and 'ié ié ié' was considered alienated and americanized. Well, I think that's it in a nut-shell.

The Brazilian issue of the 'A hard day's night' album cover had a change from the original British blue-and-red to red-and-yellow.

Para aqueles que não viveram a época, por ainda não terem nascido, vai aí a gênesis da palavra 'iê iê iê', que, para mim, sempre teve conotação pejorativa. O termo surgiu em 1965, com o sucesso dos Beatles por aqui. Em 'She loves you', The Beatles gritavam: 'She loves you yeah yeah yeah!' (Ela te ama, sim, sim, sim...).

Quando a United Artists lançou no Brasil, o filme branco-e-preto dos Beatles, 'A hard day's night', eles não sabiam como traduzir o título. 'A noite de um dia duro' ficaria um nome deveras hermético para um público jovem. Alguém lá (vai se saber quem!) teve a incrível (alguns diriam, infeliz) ideia de 'traduzir' 'A hard day's night' como 'Os Reis do Ié, Ié, Ié' (Os reis do sim, sim, sim).

Logo no início, alguns pronunciavam 'iê, iê, iê' e outros 'ié, ié, ié'. Alguns grafavam 'yé, yé, yé', outros 'yê, yê, , yê'. Enfim, a idiotice tinha sido plantada por uns e adotada por todos. O resto é história.


A Odeon mudou a cor original azul para o vermelho. Explicação? Nenhuma! Talvez a tinta azul do chefe do departamento de arte tenha terminado justo no dia da 'arte-final'.

If you think 'Os reis do ié ié ié' is weird think about 'Os 4 cabeleiras do após-calypso' the title the Portuguese came up with in Lisbon for the translation of 'A hard day's night'... 


Idalina de Oliveira nasceu em 26 Outubro 1934, começou na TV Record em 1953, tornando-se uma das garôtas-propagandas mais populares. Em 1962, surpreendentemente, 'estourou' em todo o Brasil com 'Amorzinho querido'. Aqui está reportagem da revista 'Intervalo' de 1966, onde Idalina conta suas peripécias com a Jovem Guarda.

Idalina toda 'op-art' no CS 33-6110 'Alguém na vida da gente' / 'Você é tudo para mim' em 1966.

Idalina de Oliveira nunca teve pretensões de ser cantora. Apareceu cantando em público algumas vêzes. Uma delas foi na série Capitão 7, da TV Record, quando foi vista por Alfredo Corleto, diretor da Chantecler, que a convidou para gravar um 78 rpm em 1962. Venceu o receio e surgiu com 'Amorzinho querido', uma versão de 'Mariquilla bonita' do cubano Bienvenido Granda. O disco foi sucesso em todo o Brasil e Idalina recebeu um troféu 'Chico Viola' no início de 1963. Até a edição anterior ela, como garota-propaganda da TV Record ajudava na entrega do troféu, nesse ano ela foi receptora do cobiçado prêmio. Idalina gravou um LP para o selo do galinho que foi lançado no início de 1964, onde gravou algumas versões de música italiana, como 'Psi psi bao bao', que era a coqueluche do momento.  

Agora, em 1966, inicia sua fase iê-iê-iê, lançando 'Alguém na vida da gente', de Roberto e Erasmo Carlos, com acompanhamento de Poly na guitarra e Miranda no contra-baixo, além de orgão e bateria. 

Sua onda agora é o iê-iê-iê. Idalina diz que sua presença na Jovem Guarda é mesmo p'ra valer. 'Alguém na vida da gente' é uma brasa, mora. De agora em diante o negócio é me aperfeiçoar em tudo que diga respeito à Jovem Guarda. Já estou mais ou menos familiarizada com tudo. Não perco o programa do Roberto Carlos e acho o movimento formidável'.  

Idalina está aprendendo a tocar violão e logo, logo vai se apresentar no programa de Roberto Carlos para mostrar que o iê-iê-iê ganhou uma nova e bonita estrêla. 

LP 'Idalina', lançado em 1964 pela Chantecler. 
Idalina de Oliveira no set de 'Capitão 7', entrega flores à escritora Maio Miranda, que escrevia a série. Ayres Campos (Capitão 7) é o de gravata borboleta.
Entrega do prêmio Roquette Pinto XI in 1963. À direita, Idalina de Oliveira.
Idalina hands Roquette Pinto trophy at XI ceremony in 1963. 
Idalina smiles to the public while Ruth Rachou receives her Roquette Pinto for best choreographer of 1964 from Neide Alexandre.
Idalina de Oliveira with Rinaldo Calheiros; Idalina on Intervalo's cover May 1964.
Idalina de Oliveira in Revista do Rádio - 5 Dezembro 1964.
Garotas-propagandas Neyde Alexandre, Nelly Reis, Marlene Mariano, Marlene Morel, Idalina de Oliveira, Meire Nogueira, Branca Ribeiro, Ana Maria e Vininha de Moraes. 



a very young Idalina doing what she did best: sell home appliances!

2 comments:

  1. oh my, how could I ever listen to and maybe purchase such a disc??? i'd love to have some by her, as I just know one or two of her recorded songs.
    tnx.

    ReplyDelete
  2. Olá ZéJosé... os discos de Idalina de Oliveira são meio raros... e qdo. v. encontra, são caríssimos... mas há alguma coisa dela pela Internet... procure em Google, que, talvez, você possa baixar... boa sorte...

    ReplyDelete